O NOVO

O NOVO foi iniciado por cidadãos insatisfeitos com o montante de impostos pagos e a qualidade dos serviços públicos recebidos. Este grupo de pessoas nunca havia se candidatado a nenhum cargo eletivo, mas concluiu que um partido político seria a ferramenta democrática adequada para realizar as mudanças necessárias.

Nenhum dos outros partidos defendia maior autonomia e liberdade do indivíduo, redução das áreas de atuação do Estado, diminuição da carga tributária e melhoria na qualidade dos serviços como saúde, segurança e educação.

“O que nos motiva não é a certeza do sucesso, mas o senso de obrigação que temos com o País e com as futuras gerações.”

O NOVO foi fundado em 12 de fevereiro de 2011 por 181 cidadãos de 35 profissões diferentes e oriundos de dez estados da Federação. Durante três anos e meio, nos dedicamos ao trabalho de divulgação dos nossos objetivos e valores e ao cumprimento das exigências legais para o registro do partido. 

Com nove Diretórios Estaduais formados e 502 mil assinaturas de apoio para a criação do partido validadas, solicitamos, em julho de 2014, o registro definitivo do NOVO, que foi deferido pelo TSE em 15/09/2015. O NOVO tornou-se, então, o 33º partido brasileiro em atuação e foi autorizado a ter filiados, lançar candidatos e adotar o número 30.

Os valores do NOVO

  • Liberdades individuais com responsabilidade

  • Indivíduo como único gerador de riquezas

  • Todos são iguais perante a lei

  • Livre mercado

  • Individuo como agente de mudanças

  • Visão de longo prazo

Os diferenciais do NOVO

 
  • Ficha Limpa:Filiados e candidatos devem preencher os requisitos da lei Ficha Limpa;

  • Limitação ao “carreirismo político”: é vetado ao filiado eleito para cargo no Poder Legislativo que se candidate a mais de uma reeleição consecutiva para o mesmo cargo;

  • Vinculação do candidato às suas propostas: definição prévia do Compromisso de Gestão e do Compromisso de Atuação Legislativa, prevendo metas a serem cumpridas;

  • Gestão independente: a gestão partidária não pode ser feita por candidato ou por ocupante de cargo eletivo;

  • Não há cobrança de percentual do salário do mandatário: a contribuição partidária mínima é igual para filiados e candidatos eleitos.

Para saber mais acesse:

www.novo.org.br